top of page

Tira ou deixa o carboidrato?

Atualizado: 11 de mai. de 2023

Saiba quando ele pode e deve ser ingerido e quais tipos não consumir de jeito algum


Os carboidratos são nutrientes extremamente importantes para o nosso organismo. Fonte fácil e rápida de energia, é a glicose que basicamente alimenta todas as células do nosso corpo. Alguns órgãos, como o cérebro, são incapazes de obter energia de proteínas e de gorduras diretamente. Assim, na ausência de boas fontes desse nutriente, ocorrem uma série de reações adaptativas que comprometem a estabilidade necessária para o organismo realizar suas funções adequadamente .


Em tempos onde muita gente está sofrendo de “carbofobia”, vale a pena refletir sobre alguns conceitos.


Papel no metabolismo


A função básica dos carboidratos é fornecer energia para todos os tecidos do corpo. Nos alimentos, eles se encontram de várias formas, como a sacarose, o amido e a lactose, mas, no nosso metabolismo, eles se apresentam basicamente na forma de glicose, que circula pelo nosso sangue até chegar ao destino final: a célula. Essa função é tão importante que o corpo guarda um bom estoque de glicose no fígado para ser usado quando não há entrada de glicose pela dieta, ou seja, durante o sono. Nesse período, a maior parte do tecido muscular está em repouso e o combustível será direcionado para manter funções vitais, como batimento cardíaco, respiração, produção de hormônios, manutenção da temperatura, etc.


Quando alguém decide excluir da dieta alimentos contendo carboidratos, o corpo vai ter que se virar para conseguir glicose de outras formas. Comandados pelo cérebro, que, como vimos acima, não "come" outra coisa além glicose, alguns órgãos liberam hormônios que vão até o tecido muscular para converter proteínas em glicose. A perda de massa muscular é a primeira consequência da baixa ingestão/ausência de carboidratos. O tecido gorduroso não é o primeiro a ser afetado pelo fato de também ter função de fornecer energia em momentos de emergência, como no jejum, na baixa ingestão voluntária de carboidratos ou quando estamos perdidos no deserto.


Em situações como essa , o peso pode até diminuir, mas será às custas de perda de músculo, de água e eventualmente de gordura.


Equilíbrio entre nutrientes


Quando fontes de carboidratos são excluídas da dieta, o volume ingerido de proteínas e gorduras ficará proporcionalmente desequilibrado, comprometendo o funcionamento de alguns órgãos e a harmonia do metabolismo. Só para se ter uma ideia, do total de calorias necessárias ao longo do dia, 60 a 70% devem ser necessariamente provenientes dos carboidratos. Do restante, 20 a 25% devem vir de gorduras e 10 a 15%, de proteínas, faixa melhor tolerada pelo fígado e pelos rins.


O que realmente engorda


É de senso comum que o excesso de carboidratos se acumula na forma de gordura. Popularmente ouvimos que “carboidrato engorda”. Uma pequena parcela de pessoas se dá conta que o excesso de gorduras também se transforma em gordura e conclui que se comer gordura demais vai engordar. Mas nem todo mundo sabe que o organismo não armazena aminoácidos e que portanto ingerir grandes quantidades de proteína não vai aumentar a massa muscular. O excesso de nutriente também se transformará em gordura, além de fazer uma verdadeira bagunça no metabolismo.


Onde encontrar bons carboidratos


De forma geral, a palavra carboidrato está associada a pães, batatas, arroz, massas/macarrão, açúcar, bolos, chocolates, doces e tudo o que “é gostoso e engorda”. Sim, eles estão presentes aí, uma vez que esses alimentos são feitos basicamente de um cereal refinado – o trigo – e de açúcar.


Pouca gente associa fontes de carboidratos a leguminosas (todos os tipos de feijões, grão-de-bico, lentilha, ervilha seca e fava), a alguns cereais nobres (como quinoa, aveia e amaranto), ao milho, que também é um cereal, e às frutas, tanto frescas como secas. Nesses grupos, além de obtermos facilmente a glicose, conseguimos também proteínas de excelente qualidade, como no caso das leguminosas e dos cereais, além de antioxidantes, vitaminas, minerais, fibras e gorduras do bem, nutrientes que a turma do pão francês não passa nem perto.


Assim, mantenha boas fontes de carboidratos em todas as suas refeições. Evite alimentos refinados, industrializados e com açúcar. Componha seus pratos com uma boa variedade de cereais integrais, leguminosas, hortaliças, frutas e castanhas. Coma em intervalos regulares cerca de 3 horas. Beba água. Faça exercícios. Tome sol. Durma bem. E ame a vida! Isso sim ajuda a manter a saúde e o peso adequado.


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

ความคิดเห็น


bottom of page